Bola Pesada

A Casa do Futsal

Mato Stankovic e sua defesa que parou a Espanha

Hoje ás 15:25, no horário de Brasília começava o jogo da grande favorita a vencer a Euro Futsal em 2014. Nesse mesmo horário começava aparecer a grande surpresa do dia (até então, porque depois a Eslovênia bateu a Itália). Como podíamos esperar, a seleção espanhola tomou frente nos primeiros minutos, comandando a posse de bola por maior tempo. O que não esperávamos era uma disciplina tática por parte da Croácia como vimos. Uma defesa focada na meia quadra muito forte, que não podíamos definir como uma marcação zona e também não tinha totais características de uma marcação individual. Como veremos na imagem a seguir:

Análise 1

Assim como citado no parágrafo anterior, a defesa croata começava a pressionar os espanhóis depois da linha da meia quadra. Sempre com um desenho inicial de Losango, famosa defesa zona. Até ai, todos poderiam dizer que a Croácia estava marcando zona contra um time que roda muito bem a bola (o que de certa forma p

oderia fazer sentido), entretanto, para mim o grande ponto chave da “vitória” defensiva foi a cobertura que as alas recebiam, para começar ilustrando, pegaremos o quarteto inicial da Espanha com Ortíz, Aircardo, Campos e Rafa Usín onde nenhum dos jogadores é um pivô de referência. Quando a bola caia nas alas, numa espécie de isolamento contra o ala adversário, a cobertura Croata agia de forma muito inteligente, como no quadro a seguir, supondo que a bola está sendo levada para o lado de Aircardo:

análise 2

Nesse lance, estamos além de imaginando a bola com o Aicardo, explicaremos como a Croácia levava tanto perigo nos contra-ataques e como a impaciência da Espanha ajudava com isto. Os pontos tracejados é a movimentação da bola e as linhas retas dos jogadores.  Pegamos uma situação que ocorreu muito no jogo, com diversos jogadores, passe e corrida para outro lado, fazendo assim o ala jogar isolado contra um marcador mais lento.  Como dito anteriormente o grande problema para a Espanha foi a cobertura da Croácia e principalmente o ala ser “encaixotado” com facilidade pelo jogador que faz a ponta do Losango inicial. Notem o posicionamento do Suton, que não acompanhava o Rafa Usin e na verdade fechava o passe para o campos ou o jogador que lá estivesse.  Novak além de fazer a cobertura Jelovic, ainda fechava o meio numa possível inversão para Rafa Usín, sem contar a cobertura do Jukic, goleiro croata.

Com essa movimentação defensiva Croata, o “solução” no primeiro tempo para os jogadores da Espanha eram quebrar no meio. Coisa que facilitava e muito para a defesa croata, é neste momento que vemos porque não era uma defesa zona:

Análise 3

Em muitos momentos do primeiro tempo víamos isto ocorrer.  Algum jogador na ala oposta caía para o meio, que se afunilava mais e mais ainda. A defesa croata pouco se mexia, uma pequena descida de Suton e uma maior atenção de Novak. Todo time deveria treinar esta situação adversa e me pareceu que a Espanha não esperava por isto, e tenho uma certeza disto pois a afobação dos espanhóis que tentavam jogar esta bola no meio para Usin ou então virar o jogo para Ortíz e era ai que a Croácia roubava as bolas e conseguiam fazer os grande contra-ataques que tiveram.  Ao jogar a bola pelo meio, era tudo o que a Croácia queria, pois estava totalmente marcado e cheio de cobertura de todos os lados, inteligentíssimo ajuste de Mato Stankovic.

Uma solução para a Espanha era movimentar mais pelas alas, colocar o Fernandão que era um pivô de referência e começar a usar a bola nos fundos da quadra. E sequer vimos isto em nenhum momento, nem no segundo tempo quando a Espanha virou em duas bobeiras da Croácia.

Para finalizar, algo notável na Croácia também foi a frieza. Mesmo em um resultado adverso a equipe não tentava realizar uma marcação pressão no desespero, porque sabiam que caso marcassem lá na “garganta” acabariam cedendo muitos espaços para a Espanha, o que seria fatal. Deixaram para colocar o goleiro-linha na “última posse” da sua equipe e sempre com uma grande frieza, esperando o momento certo.

Marinovic e Jelovicic foram ótimos, mas a nota 10 e craque da partida vai para Mato Stankovic, técnico da Croácia. Espero que consigam a classificação, jogando com um time mais fraco e que terão que sair para o jogo.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 29/01/2014 por em Futsal Europeu e marcado , , , , , , .

Navegação

Visitantes da A Bola Pesada

  • 76,040 visitas
%d blogueiros gostam disto: